Chanceler brasileiro discute guerra com ministro do Catar

Chanceler brasileiro discute guerra com ministro do Catar

O ministro das Relações Exteriores do Brasil, Mauro Vieira, telefonou nesta segunda-feira (30) para o ministro das Relações Exteriores do Catar, Mohammed bin Abdulrahman Al-Thani. Eles discutiram o conflito no Oriente Médio, a mediação para liberação de reféns em mãos do Hamas e a possibilidade de abertura da fronteira entre o Egito e a Faixa de Gaza. 1698694124 543 ebc1698694124 632 ebc

“Discutiram a crise israel-palestina e os esforços para a liberação da passagem de estrangeiros retidos em Gaza ao Egito, inclusive mais de 30 brasileiras e brasileiros. Conversaram também sobre a resolução de apoio humanitário em discussão no Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU)”, informou o Itamaraty em uma rede social.  

Mauro Vieira está em Nova York, onde coordena nesta segunda-feira mais uma sessão do Conselho de Segurança da ONU sobre o conflito no Oriente Médio.

Leia Também  Rússia leva alerta à ONU sobre "bomba suja" da Ucrânia

De acordo com o Ministério das Relações Exteriores do Catar, os dois ministros discutiram a gravidade das confrontações em Gaza, a necessidade de um imediato cessar-fogo e também sobre os últimos esforços para libertação dos reféns. 

Ainda segundo a nota divulgada pelo Catar, o ministro do país do Oriente Médio enfatizou a necessidade de abrir a fronteira em Rafah, no Egito, “permanentemente para garantir o fluxo de comboios de socorro e a ajuda humanitária aos irmãos palestinos presos sob o bombardeio.”

Na semana passada, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva conversou sobre o conflito com o líder máximo do Catar, o emir Tamim bin Hamad al-Thani. O presidente brasileiro tentou uma mediação para liberação dos cerca de 30 brasileiros e familiares presos na Faixa de Gaza.

Leia Também  Assembleia Geral da ONU avalia posição sobre guerra no Oriente Médio

O Catar tem desempenhado importante papel de mediador junto ao grupo Hamas para liberação dos reféns sequestrados no dia 7 de outubro e tem sido procurado por líderes de todo o mundo que buscam uma solução para retirar os estrangeiros que estão presos na Faixa de Gaza desde o início das hostilidades. 

Lucas Pordeus León – Repórter da Agência Brasil

Fonte: Agência Brasil

Últimas Notícias